Falando de Tv e Cinema

And the Oscar goes to…

Olá, gente! Sentiram minha falta? Eu disse que ia demorar para aparecer porque queria ter tempo para assistir aos filmes que estão indicados ao Oscar. Aqui estou! Queria fazer vários posts relacionados ao Oscar, mas me limitei a só esse. Também queria comentar sobre as atuações, animações, efeitos, mas enfim, não dá para abarcar o mundo, né? Fiz um esforço esse ano para assistir a todos que estão na disputa para melhor filme, ano passado não consegui, mas felizmente esse ano foi! Vou comentar o que achei de cada um, as expectativas e minhas apostas. Segura que o post é longo!

BoyHood

Vou começar com o favoritíssimo Boyhood – Da Infância à Juventude, de Richard Linklater. Para quem ainda não ouviu falar desse filme, ele começou a ser filmado há doze anos, quando o menino tinha 6, passando então todo o seu crescimento e escolhas até chegar aos 18. Não há datação no filme, mas ninguém que viveu na década de 90 tem problemas em identificar a época, seja com músicas, lançamentos de livros e acontecimentos históricos; o filme percorre os doze anos de um garoto normal como nós. Linklater faz um roteiro muito bonito, com aquelas frases impactantes sobre o mundo (para quem não conhece o trabalho dele, recomendo a trilogia Antes do Por-do-Sol) e esse filme não é diferente. Eu, particularmente, achei o filme cansativo, são 166 minutos, mas reconheço todo o esforço e ousadia que todos os envolvidos no trabalho tiveram, desde as crianças que se comprometeram com algo muito novas até a falta de previsibilidade do diretor sobre o resultado do filme.  Além de melhor filme, o filme tá indicado a mais cinco categorias.

Birdman

Outro acirrado na disputa para levar a estatueta é Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância) de Alejandro González Iñarritu, que tem nove indicações. O filme conta a história de um ator famoso por interpretar um super herói nos cinemas que dirige uma peça da Broadway para tentar recuperar sua fama. Os bastidores da peça e os pensamentos esquizofrênicos do protagonista são mostrados de forma crua com uma trilha sonora eletrizante. O filme apresenta atores que entregam tudo nas atuações, Michael Keaton, Emma Stone, Naomi Watts, Edward Norton, um melhor que o outro, e o final? Assistam e tirem suas próprias conclusões.

The Theory of Everything

A Teoria de Tudo, de James Marsh, está sendo super bem comentado pela incrível atuação do Eddie Redmayne como o físico Stephen Hawking. E é basicamente isso que eu tenho para comentar. O filme foca na vida pessoal do Stephen com sua esposa interpretada pela Felicity Jones, que também atua brilhantemente. Por causa disso, sinto que o filme peca, pois torna a história muito romanceada e muitas vezes distorcida do que realmente aconteceu. Eddie Redmayne concorre a melhor ator e é o favorito para a categoria. Felicity Jones também está concorrendo a melhor atriz, mas deve perder para a Patricia Arquette de Boyhood.

The Imitation Game

O Jogo da Imitação, de Morten Tyldum, é o meu queridinho dessa lista por motivos pessoais, adoro a Keira e o Benedict e eles estão incrivelmente fodas no filme. O filme também é uma biografia, agora do matemático Alan Turing, que durante a IIGM ajudou o governo britânico a decifrar as mensagens da Alemanha nazista. Diferentemente de A Teoria de Tudo, este não foca somente na vida pessoal do protagonista e apresenta a importância do seu trabalho. Para vocês terem ideia, o fato de Alan ser gay não é o assunto principal do filme (teria tudo para ser, já que na época era proibido na Inglaterra). O filme tem oito indicações.

The Grand Budapest Hotel

Outro filme queridinho por mim é O Grande Hotel Budapeste, do Wes Anderson. Para quem conhece o trabalho do diretor (indico Moonrise Kingdom), sabe o quão característico é este filme. As cores, a posição das câmeras, os atores. A história se passa entre as grandes guerras em um grande hotel (há) e mostra o lobby boy, aqueles que carregam as malas, se tornando amigo do gerente. O filme tem uma narrativa linda e várias histórias bem bacanas. Ele tá com nove indicações ao total e torço muito para que ganhe nos técnicos.

Whiplash

Whiplash – Em Busca da perfeição, de Damien Chazelle, foi uma surpresa para mim! O filme retrata a história entre um baterista de jazz e seu professor extremamente perfeccionista. A relação deles é intensa, com muitos sacrifícios e diálogos nervosos. Não preciso nem falar que a trilha sonora é animal, né? A atuação do professor feita pelo J.K. Simmons é a favorita para levar a estatueta de melhor ator coadjuvante e, assim que vocês assistirem, irão concordar. Ao total, o filme tem cinco indicações.

American Sniper

Sniper Americano, de Clint Eastwood, é a minha decepção desse ano. O filme também é uma biografia e conta a história de um sniper que lutou na guerra pós-torres gêmeas e foi considerado um “mito”. A história em si não apresenta nada de novo dentro os filmes desse gênero, além de ser incrivelmente patriótico (ao contrário de Birdman, que critica o próprio mercado cinematográfico). Mesmo assim, o filme conseguiu mais 5 indicações ao Oscar, incluindo melhor ator para Bradley Cooper que, embora faça um ótimo papel, não acredito que mereça estar nos indicados esse ano.

Selma

Selma, de Ava DuVernay, foi o último filme que vi e por preguiça, confesso. Preciso de muito esforço para assistir a filmes políticos. Esse filme mostra as passeatas que Martin Luther King Jr. fez em Selma reivindicando o voto às pessoas negras. Para quem conhece a história americana, percebe que exageraram na retratação do presidente da época Lyndon Johnson, que apoiou Luther King nessa luta. Além dessa indicação, o filme é favorito para melhor canção original, Glory, cantado por John Legend.

Ufa! O post ficou enorme, mas foi um caso especial! É isso aí, gente. Comente as apostas de vocês, muitos desses filmes ainda estão em cartaz nos cinemais, então ainda dá tempo para conferir. O Oscar é nesse domingo, dia 22, e a TNT vai transmitir ao vivo (acho que 23h). O apresentador desse ano é o Neil Patrick Harris, o eterno Barney de How I met your mother.

Até daqui a duas semanas com nossa programação normal!

Beijos!

Sobre o autor

Carla, 29 anos, publicitária, fotografa, social mídia, artesã. Louca da natureza, velharias e bichos. Mais na aba aba sobre e por todo o blog.

(8) Comentários

  1. Olá!! Achei muito interessante o seu post, infelizmente o único filme que vi por enquanto, foi o “The Imitation Game”, que por sinal eu também adorei, até por ser da área de computação.
    Beijos.

    1. @Renata Cabral, Obrigada, Renata! 😀
      The Imitation Game é lindo, né? Deve ser mais pra você que é da área! Eu gostei mesmo sem entender umas partes mais técnicas xD

  2. Fiquei bastante interessada por “Birdman”.
    Me interessei por todos na verdade, mas “Birdman”, realmente… O trailer está f#d$!

    Sobre Sniper Americano e A Teoria de Tudo, não concordei muito visto que, no filme sobre Steph Hawking, é interessante sim mostrar como o amor prevalece mesmo depois de voce se separar e que existem inúmeras formas de amar alguem, estar lá por ela e com ela.
    Spiner Americano pra mim é sensacional. Eu, particularmente, ainda não tinha visto algum filme abordar essa delicadeza por que, no fundo, ele nao queria matar aquelas pessoas, ele nao queria fazer nada daquilo. Entende? No meu ponto de vista, foi até melhor que uma crítica, foi uma reflexão.

    Beijos,
    Lu

    1. @Lua Corbetta, Oi, Lu! Veja Birdman, o filme tá tão bom quanto o trailer! =D

      E sobre A Teoria de Tudo, o problema, pra mim, não foi mostrar a vida pessoal do Hawking, mas focar nela. Além disso, como o livro foi escrito por ela, tem muita coisa “imparcial”, que ela escreveu (e talvez prefira assim) mas que não foi como aconteceu. O divórcio deles foi complicado na época, ela não aceitou tão de boa como no filme. Achei muito romanceado essa parte, como se eles não quisessem mais colocar problemas no filme, já que a doença é um problema e tanto. Não tô menosprezando a doença, claro, mas o filme pareceu tipo ‘ah, quero escrever um livro, pronto’, e não detalhou os problemas que ele teve. Não sei se expliquei direito, haha. Do mesmo jeito, eu gostei do filme, mas achei um romancinho Nicholas Sparks.
      Sobre American Sniper, existem filmes que mostram o pós-guerra como Nascido em 4 de julho com Tom Cruise, Conquista da Honra também do Clint Eastwood, mas entendi seu ponto. Eu só achei o filme fraco em relação aos outros, tipo, são tantas biografias esse ano (A Teoria de Tudo, Imitation Game) que retratar um soldado da guerra contra o oriente médio me soou muito patriota.
      Obrigada pelo comentário, Lua. 😀

  3. De todos os filmes o que eu mais quero assistir é a teoria de tudo mas vi muita gente decepcionada com ele. :/

    Beijo!

    1. @Beatriz Cavalcante, o filme é bom, não dá tédio e é fofinho. O problema é que como biografia não funciona, mas como filme, sim! Assista sem se importar com a opinião dos outros (:

  4. Estava super curiosa pra ver Boyhood, mas acho que vou diminuir as expectativas. Apesar dos 12 anos de gravação, estão dizendo que não é um filme tãããão bom assim.
    Eu quero muito, muito mesmo, assistir Birdman! Infelizmente na minha cidade não tem cinema, então tenho que esperar sair na internet :@
    Também estava mega ansiosa pra olhar A Teoria de Tudo. Vou baixar um pouco as expectativas novamente. É difícil eu gostar de romances.
    Keira <3 Assisti O Jogo da Imitação e gostei bastante, apesar de ficar bem triste depois que o filme terminou.
    O Grande Hotel Budapeste eu também assisti, mas não gostei tanto. Nem prestei muito atenção.
    Ouvir falar de Whiplash, muito bem aliás, mas ainda não assisti.
    Sniper Americano não é o meu tipo de filme.
    Fiquei com vontade de ver Selma, mas tá todo mundo dizendo que não é bem como na realidade e tal. Vou olhar quando estiver com tempo, pra comprovar.

    {acancaodosilencio.blogspot.com.br}

    1. Nossa, Bia, sem cinema? =| Que chato… Birdman já tem em qualidade boa pra baixar, dá uma pesquisada (:
      E sim, vá sem muitas expectativas com Boyhood, não é tudo isso mesmo.
      Eu também fiquei triste com o final de Jogo da Imitação, menina! Que vontade de abraçar o Benedict, haha
      A receita é ver todos os filmes sem expectativas! É bem melhor 😀
      Beijão!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *